Fone: (16) 3301-0641

Você conhece a história da criação da Lei Orgânica do Município de Araraquara?

Você conhece a história da criação da Lei Orgânica do Município de Araraquara?


O que é a Lei Orgânica do Município?

A Lei Orgânica do Município (LOM) é uma lei municipal correspondente, de uma forma local, a constituição da república e a estadual.

A LOM proporciona ao município instrumentos legais capazes de enfrentar as grandes transformações que a cidade passa, o que vai possibilitar uma nova ordem ao desenvolvimento de todo o município, regulamentando seu funcionamento.

Sendo assim, a Lei Orgânica do Município é o instrumento maior da cidade, promulgada pela Câmara Municipal, que atende os princípios estabelecidos na constituição da república e estadual. Nela está contida a base que norteia a vida da sociedade local, na soma comum de esforços visando o bem estar social, o progresso e o desenvolvimento de um povo.

  Um pouco da história:

No Brasil imperial, as províncias possuíam pouca autonomia político-administrativa e a primeira Constituição Brasileira, promulgada em 1824, não alterou esse quadro. A Constituição Brasileira de 1891 atribuiu competências aos Estados, estabelecendo a repartição de receitas e a participação dos Estados no poder central, entretanto, não assegurou a autonomia municipal no país.

A Constituição Brasileira de 1934 inovou ao instituir a Justiça Eleitoral, o voto secreto e o voto feminino; bem como ao criar a Justiça do Trabalho/Leis Trabalhistas. Essa foi a Constituição com menor tempo de vigência na história do Brasil, pois em 1937 foi outorgada a Constituição que estabeleceu o regime ditatorial, abolindo os partidos políticos e a liberdade de imprensa. Pelo art. 178, os parlamentos foram fechados e as eleições suspensas.

A Constituição Federal de 1946, promulgada por uma constituinte, restabeleceu a liberdade de imprensa, o direito de greve, a separação dos poderes, etc. No entanto, vinte anos depois, a Constituição de 1967 suspendeu os direitos políticos dos parlamentares de oposição e os direitos individuais, restringiu o direito de greve e fortaleceu o poder executivo, inclusive, restabeleceu a nomeação de prefeitos de alguns municípios pelo governador.

Em 1988 foi promulgada a Constituição Federal vigente, marcada pela garantia dos direitos individuais e coletivos, dos direitos sociais, dos direitos políticos, e, por assegurar, como valores fundamentais da sociedade brasileira, a liberdade, o desenvolvimento, a igualdade, o respeito à dignidade humana e a justiça. Ao afirmar tais valores, essa Constituição ficou conhecida como a Constituição Cidadã.

Outro aspecto importante da Constituição de 1988 foi o reconhecimento do município como um ente federado, ou seja, dotado de autonomia (de auto-organização, autolegislação, autogoverno e autoadministração). A elevação do município à condição de entidade federada constitui a peculiaridade da Federação brasileira, pois a concepção clássica do federalismo não inclui a figura municipal.

Uma das principais manifestações da autonomia dos municípios consiste na capacidade de auto-organização, que se traduz na direito de elaboração e promulgação da Lei Orgânica Municipal (LOM) pela Câmara de Vereadores. Esta lei não depende de sanção por parte do executivo, uma característica que é típica da Constituição Federal. Desse modo, a LOM nada mais é do que a Constituição Municipal, pois vincula toda a produção normativa inferior dentro da esfera local.

  Como se deu a criação da Lei Orgânica no Município de Araraquara:

A imensidão do território brasileiro, somada a descentralização do poder, assegurada pela Constituição Federal de 1988 contribui para que  o povo se aproxime cada vez mais de seu governo local e o idealize como autônomo, pois é dele que se esperam as soluções para seus anseios mais imediatos.

O artigo 29 da Constituição Federal previu que os municípios reger-se-ão por lei orgânica.

A Câmara Municipal de Araraquara, para elaborar a Lei Orgânica do Município, criou o Regimento Interno Especial, de autoria da Mesa Diretora, através da Resolução 154m de 26 de outubro de 1989 (vide Resolução).

O Ato nº 050, de 07 de novembro de 1989, constituiu seis Comissões do Poder Organizante Municipal para a elaboração da Lei Orgânica do Município, conforme previsto no Regimento Interno Especial (vide Ato).

A Comissão de Sistematização do Poder Organizante Municipal de Araraquara foi a responsável pela coordenação sistemática dos resultados parciais para elaboração do anteprojeto e do projeto, bem como, a redação final do texto da Lei Orgânica. Em 08 de fevereiro de 1990 essa Comissão apresentou o referido Projeto.

O Projeto da Lei Orgânica foi discutido e votado em dois turnos, considerando-se aprovado quando obteve votos favoráveis de dois terços dos membros da Câmara Municipal.

Em primeira discussão foi aprovado nas seguintes sessões:  08/03/90,  13/03/1990   e   15/03/1990, como previsto no Regimento Interno Especial.

Aprovado com alterações em primeiro turno, o Projeto da Lei Orgânica foi enviado à Comissão de Sistematizacão para oferecimento da redação do texto aprovado.  Em segunda discussão e votação, foi aprovado na sessão de 26/03/1990, quando foi vedada a apresentação de novas emendas, salvo as supressivas ou de redação.

Veja na íntegra o Projeto Original da Lei Orgânica do Município de Araraquara apresentado pela Comissão de Sistematização do Poder Organizante Municipal -  Projeto original LOA.

Placa Comemorativa LOM 1990

 Sessão Solene

Em Sessão Solene de 05 de abril de 1990, no Palacete São Bento, às 20 horas, houve a entrega oficial da LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO DE ARARAQUARA ao então Prefeito Municipal Waldemar de Santi (in memoriam) que proferiu em pé com o braço direito erguido o seguinte juramento:

“Prometo, como cidadão e como Prefeito Municipal, respeitar, cumprir e fazer cumprir a lei orgânica do Município de Araraquara, envidando todos os meus esforços para que a vontade do povo nela estampada, seja fiel e precisamente obedecida.”

Conforme o Regimento Interno Especial todos os vereadores e o vice-prefeito fizeram o mesmo juramento.

A Lei Orgânica do Município foi publicada no Jornal Folha da Cidade, em 06 de abril de 1990.

Prefeito Waldemar de Santi e Vereadores LOM1990

Coube a 10ª Legislatura a composição da Lei Orgânica de Araraquara

A Lei Orgânica do Município de Araraquara está atualizada no site: clique aqui para acessar a LOA.

 

Texto/matéria: Silvia Gustavo Referências bibliográficas:

  • ARARAQUARA, Câmara Municipal.
  • RESENDE, Antonio José Calhau. Autonomia Municipal e Lei Orgânica. Acesso em: abril/15.




Publicado em: 30 de novembro de 2015

Publicado por: CÂMARA MUNICIPAL DE ARARAQUARA

Cadastre-se e receba notícias em seu email

Categoria: Notícias do Memorial

Outras Notícias

Fique por dentro


Calendário municipal do mês: ABRIL

01 de abril de 2020

A cidade de Araraquara tem datas comemorativas importantes para serem lembradas, pois homenageiam profissões, classes e assuntos relevantes. O Memorial da Câmara Municipal relembra essas datas:   Lei Data Assunto Autoria Data comemorativa 7928 22/04/201...


Memória: Prêmio 'Heleieth Saffioti'

26 de março de 2020

Heleieth Iara Bongiovani Saffioti (1934-2010) - Socióloga, professora, escritora e pensadora feminista, por unir a militância política com produção acadêmica, tornou-se uma referência no movimento feminista. Acesse a biografia na íntegra aqui.   O Prêmio Instituído através do Decreto Legislati...


Memória: há 48 anos, foi oficializado o Hino de Araraquara

19 de março de 2020

O Memorial da Câmara Municipal relembra que no dia 21 de março, há 48 anos, foi oficializado o hino do município de Araraquara.  Recordamos que até o ano de 1971 a cidade ainda não possuía um hino, quando o então prefeito Rubens Cruz enviou ao presidente da Câmara Municipal, vereador Gaeta, o Of...


Memória: Casarão histórico no centro da cidade completa 100 anos

12 de março de 2020

Cerimônia de inauguração   O Memorial da Câmara Municipal relembra que há seis anos era inaugurado o Anexo da Câmara Municipal, denominado “Vereadora Deodata do Amaral”. O casarão histórico recebeu o nome da vereadora que conquistou o maior número de votos na história do Poder Legislativo ar...


Memória: Araraquara na Guerra do Paraguai, há 155 anos

09 de março de 2020

O Memorial da Câmara Municipal relembra os voluntários que partiram de Araraquara para a Guerra do Paraguai, em 10 de março de 1865. Na época, a cidade de Araraquara era pequena, com renda de 300 mil réis anuais, mas mostrou que seus filhos eram homens valorosos, pois ao verem o território da pá...


Memória: Mulheres Vereadoras

05 de março de 2020

O Memorial da Câmara relembra neste mês, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, que Olinda Montanari (in memoriam) mesmo não tendo sido a primeira mulher convocada para o Poder Legislativo araraquarense, ainda assim tornou-se a primeira mulher a exercer o cargo de vereadora, convocada com...