Fone: (16) 3301-0641

Combate à intolerância religiosa é tema de Audiência Pública

Discussões servirão de base para proposta de alteração no Código de Posturas do Município


Na segunda-feira (27), aconteceu no Plenário da Câmara Municipal a Audiência Pública “Combate à Intolerância Religiosa no Código de Posturas do Município”. Durante a discussão foi apresentada uma proposta de projeto de lei complementar, de autoria da vereadora Thainara Faria (PT), para alterar o Código de Posturas do Município.

O texto da propositura veda todo ato discriminatório e toda manifestação atentatória por motivo de religião, praticado na cidade de Araraquara, por qualquer pessoa, física ou jurídica. Violência física, perseguições e constrangimentos, por exemplo, são considerados atos discriminatórios, conforme trata a Constituição Federal e outras legislações, inclusive no Código Penal (artigo 140).

As punições previstas são advertência, multa de 10 Unidades Fiscais Municipais (UFMs), que atualmente equivale a R$ 576,80, acrescida progressivamente de 100% em caso de reincidência. A multa poderá ser elevada até o triplo, quando se verificar que, em virtude da situação econômica do infrator, sua fixação em quantia inferior será ineficaz.

“Nosso objetivo é combater a intolerância contra toda e qualquer religião. Essa demanda chegou ao nosso mandato através da população. A criação desse projeto foi apoiada pela deputada estadual Leci Brandão (PCdoB) que também possui atuação nessa área na Assembleia Legislativa”, destacou Thainara.

Representando o 13º Batalhão de Polícia Militar do Interior, o capitão PM Ricardo Domingos Júnior trouxe dados para demonstrar a importância do tema: “Em 2019, tivemos 94 ocorrências envolvendo religião, ou seja, um caso a cada quatro dias. Desses atendimentos, 16 envolviam violência”.

 

Participação popular

Uma das principais reivindicações foi o reconhecimento dos templos das religiões de matrizes africanas como tais, pois, atualmente, são enquadrados como clubes sociais, precisando seguir a legislação desses tipos de estabelecimentos para funcionar na legalidade.

Além disso, também foi apontada a necessidade do reconhecimento dos instrumentos litúrgicos no Código de Posturas, como acontece com os sinos da Igreja Católica. Outra sugestão foi a criação de programas de combate à intolerância religiosa nas escolas.

O coordenador executivo de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiz Fernando Costa de Andrade, lembrou que 21 de janeiro é o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa por causa do falecimento de uma mãe de santo que teve seu terreiro atacado, e frisou que gira em torno de 70% os casos de perseguição contra a umbanda e o candomblé. “Precisamos nos atentar ao que estamos perdendo com um ataque a essas religiões, para além do respeito ao culto do outro, como um legado histórico e uma questão cultural. Essa discussão tem uma significação muito grande para aquelas pessoas que mais sofrem.”

Segundo a vereadora, o projeto será adequado de acordo com as sugestões dadas pela população e dentro do que é possível legalmente para o vereador propor, e, em seguida, será protocolado na Câmara para análise e votação.

Também participaram do evento o chefe de Gabinete da deputada estadual Leci Brandão, Roberto Almeida; a presidenta da Comissão de Combate à Discriminação Racial da Ordem dos Advogados do Brasil – 5ª Subseção Araraquara,  Nayara Costa; o coordenador executivo de Segurança Pública, Tenente Eudes Abraão; o analista administrativo de Fiscalização de Diversões Públicas, Airton Cezar Sartori; a presidenta do Conselho Municipal de Combate à Discriminação e ao Racismo (Comcedir), Rita de Cássia Ferreira, além de representantes de diversas religiões e da sociedade civil.

 

Confira as fotos aqui




Publicado em: 29 de janeiro de 2020

Cadastre-se e receba notícias em seu email

Categoria: Notícias da Câmara

Outras Notícias

Fique por dentro


Memória: Prêmio 'Heleieth Saffioti'

26 de março de 2020

Heleieth Iara Bongiovani Saffioti (1934-2010) - Socióloga, professora, escritora e pensadora feminista, por unir a militância política com produção acadêmica, tornou-se uma referência no movimento feminista. Acesse a biografia na íntegra aqui.   O Prêmio Instituído através do Decreto Legislati...


Memória: há 48 anos, foi oficializado o Hino de Araraquara

19 de março de 2020

O Memorial da Câmara Municipal relembra que no dia 21 de março, há 48 anos, foi oficializado o hino do município de Araraquara.  Recordamos que até o ano de 1971 a cidade ainda não possuía um hino, quando o então prefeito Rubens Cruz enviou ao presidente da Câmara Municipal, vereador Gaeta, o Of...


Memória: Casarão histórico no centro da cidade completa 100 anos

12 de março de 2020

Cerimônia de inauguração   O Memorial da Câmara Municipal relembra que há seis anos era inaugurado o Anexo da Câmara Municipal, denominado “Vereadora Deodata do Amaral”. O casarão histórico recebeu o nome da vereadora que conquistou o maior número de votos na história do Poder Legislativo ar...


Memória: Araraquara na Guerra do Paraguai, há 155 anos

09 de março de 2020

O Memorial da Câmara Municipal relembra os voluntários que partiram de Araraquara para a Guerra do Paraguai, em 10 de março de 1865. Na época, a cidade de Araraquara era pequena, com renda de 300 mil réis anuais, mas mostrou que seus filhos eram homens valorosos, pois ao verem o território da pá...


Memória: Mulheres Vereadoras

05 de março de 2020

O Memorial da Câmara relembra neste mês, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, que Olinda Montanari (in memoriam) mesmo não tendo sido a primeira mulher convocada para o Poder Legislativo araraquarense, ainda assim tornou-se a primeira mulher a exercer o cargo de vereadora, convocada com...


Calendário Municipal do Mês: MARÇO

01 de março de 2020

A cidade de Araraquara tem datas comemorativas importantes para serem lembradas, pois homenageiam profissões, classes e assuntos relevantes. O Memorial da Câmara Municipal relembra essas datas:     Lei Data Assunto Autoria Data comemorativa 7173 07/01/...